quinta-feira, 5 de maio de 2011

Qual a diferença entre remédio e medicamento?

Todo medicamento é remédio, mas nem todo remédio é medicamento. Os medicamentos são preparações industrializadas ou manipuladas em farmácias de manipulação dentro de padrões rígidos do Ministério da Saúde. Remédio é tudo que pode ser usado para curar ou aliviar doenças

Medicamento e remédio nem sempre são a mesma coisa, pois todo medicamento é remédio, mas nem todo remédio é medicamento
by Telma M.
Podemos começar dizendo que: “Todo medicamento é remédio, mas nem todo remédio é medicamento”.
Quase todo mundo usa as palavras “remédio e medicamento” como sinônimos, mas não é bem assim, há uma diferença entre as duas.
Os medicamentos são preparações industrializadas ou manipuladas em farmácias de manipulação dentro de padrões rígidos do Ministério da Saúde.

Glóbulos homeopáticos adquiridos numa farmácia de homeopatia, com um laboratório que segue as normas de qualidade que garantam a segurança dos consumidores, é um medicamento.
 
Remédio é tudo que pode ser usado para curar ou aliviar doenças ou sintomas desconfortáveis: chá caseiro e o repouso, muito usados para aliviar os sintomas do resfriado; banhos quentes e massagens usadas para o alívio de tensões ou dores nas costas; prática de atividades físicas para evitar que doenças crônicas se manifestem e, também, os medicamentos usados para curar doenças em geral.
 
Remédio: tudo o que pode ser usado para curar ou aliviar doenças.

Conhecendo a diferença entre remédio e medicamento, fica fácil, agora, a gente perceber que aquele chá de erva doce que fazemos para nossos bebes não é medicamento, é um remédio, pois alivia as dores de barriga que fazem o recém nascido chorar tanto. Tampouco o chazinho de erva cidreira é medicamento, mas é um remédio muito bom para acalmar a jovem mamãe que chora junto com o seu bebezinho. 

E por que não são medicamentos

Os medicamentos passam por vários processos exigidos pela vigilância sanitária para atingirem um nível de qualidade que proporcione segurança aos consumidores.
São produtos feitos para prevenir ou curar doenças, diagnosticar ou aliviar sintomas. Seus efeitos vêm de seus componentes com propriedades terapêuticas reconhecidas por estudos científicos, os “princípios ativos ou fármacos”.
 
Medicamentos: têm registro, segue as regras da vigilância sanitária.

Medicamentos seguem regras rígidas da vigilância sanitária, passando por pesquisa, desenvolvimento, produção, registro, controle de qualidade e outras etapas antes de serem comercializados.
É por isso que os chás são apenas remédios, mas não são medicamentos ainda; eles não passaram por todas essas etapas que caracterizam os medicamentos.

Disque ANVISA: 0800 642 9782
Disque Intoxicação: 0800 722 6001
Bibliografia: Cartilha: O que devemos saber sobre medicamentos – Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária.
 

3 comentários:

  1. Conforme o dito popular "Rir é um ótimo remédio (e não medicamento)."

    Óbvio que hoje a medicina há muito distanciou-se da Medicina de Hipócrates. É uma poderosa indústria, onde o dinheiro fala mais alto do que a saúde.
    E onde os médicos tratam as doenças (e causas) e não as origens e a pessoa.
    Em parte os médicos hoje são receitadores de fórmulas químicas. Peça à um médico para definir "o que é Saúde?" Será uma definição quase que diametralmente oposta a feita por uma médico de medicina Tradicional Chinesa.
    Saúde é quando as forças vitais Yin e Yang estão em harmonia" dirá o médico chines.

    E o pobre "doutor bacharel" ocidental sequer consegue definir o que é Yin-Yang quanto mais os métodos de restaurar a relação harmônica entre ambos.

    O quanto os médicos ocidentais e órgãos do governo são fantoches das poderosas indústrias farmacêuticas? Aos lúcidos, a palavra.

    ResponderExcluir
  2. Oi,
    Telma,
    legal o post. Esclarecedor...
    beijão e brigadão por compartilhar com todos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...