terça-feira, 28 de junho de 2011

Gram Positivo ou Negativo. Técnica de coloração de Gram

O método, ou técnica de coloração de Gram é um dos mais empregados na bacteriologia médica
by Roberto M.
O que é uma bactéria Gram positiva? O que significa bactéria Gram negativa?
É comum, ao lermos uma bula, principalmente de antibióticos, observarmos a seguinte frase: “esse antibiótico é indicado para infecções causadas por bactérias Gram-positivas” ou “Gram-negativas”. Mas o que é isso? Vou tentar explicar:

As bactérias de interesse médico apresentam diversas formas: esféricas (cocos), cilíndricas ou bacilos e de espiral. Além disso, de acordo com suas características fenotípicas mais evidentes, elas podem ser subdivididas em cinco grandes grupos. Um desses grupos é o grupo das bactérias que normalmente são coradas pelo método de Gram. (Os outros grupos são: Micobactérias e Nocárdias, Espiroquetídeos, Micoplasmas, Riquétsias e Clamídias).

Uma vez que os microorganismos são transparentes, é freqüente o uso de corantes para melhor visualização da forma e do tipo de arranjo. Um dos métodos mais empregados em bacteriologia médica é o método de coloração de Gram.

A coloração de Gram recebeu este nome em homenagem a seu descobridor, o médico dinamarquês Hans Christian Joaquim Gram que em 1884 observou de modo empírico que as bactérias adquiriam cores diferentes, quando tratadas com diferentes corantes.
Isso permitiu classificá-las em dois grupos distintos: as que ficavam roxas, que foram chamadas de Gram-positivas, e as que ficavam vermelhas, chamadas de Gram-negativas.

O método, ou técnica de Gram, consiste, essencialmente, no tratamento sucessivo de um esfregaço bacteriano (Esfregaço é uma leve camada de matéria orgânica sobre uma lâmina de vidro, para exame microscópico.), fixado pelo calor, com os seguintes reagentes: cristal violeta, lugol, álcool e fucsina.

Todas as bactérias, sejam Gram-positivas ou Gram-negativas, absorvem de maneira idêntica o cristal violeta e o lugol, adquirindo a cor roxa. Entretanto, ao serem tratadas pelo álcool, apresentam comportamento diferente, isto é, as Gram-positivas não se descoram pelo álcool e as Gram-negativas se descoram facilmente. Dessa maneira, as bactérias gram-positivas continuam com a cor roxa do complexo cristal violeta/lugol e as Gram-negativas tornam-se descoradas. Ao receber a fucsina, somente as bactérias Gram-negativas se deixam corar e adquirem a cor avermelhada do corante.

É por isso, que quando se examina ao microscópio um esfregaço bacteriano corado pelo método de Gram, as bactérias Gram-positivas se apresentam de cor roxa e as Gram-negativas, de cor avermelhada.
As bactérias normalmente coradas pelo método de Gram são as bactérias mais frequentemente encontradas numa rotina de diagnóstico bacteriológico, seja como causa de infecção ou não.

O método de Gram é utilizado na maioria das infecções bacterianas, permitindo o diagnóstico presuntivo de algumas delas com bastante segurança. Estão entre estas as uretrites gonocócicas, as meningites bacterianas em geral e as infecções urinárias.

A parede celular dos microrganismos gram-positivos é uma estrutura relativamente simples, com espessura de 15 a 50 nm.
A parede celular dos microrganismos gram-negativos é muito mais complexa. A dificuldade em penetrar nesta camada complexa é a razão pela qual alguns antibióticos são menos ativos contra as bactérias gram-negativas.

Geralmente as bactérias "gram negativas" são mais patogênicas, possuindo ainda lipopolissacarídeos na sua membrana exterior, que agravam a infecção.

Alguns microorganismos gram-positivos
Lactobacillus sp.
Streptococcus pyogenes

Alguns microorganismos gram-negativos
Pseudomonas aeruginosa
Haemophilus influenzae
Escherichia coli
Helicobacter pylori
Bibliografia: Trabulsi, Luiz Rachid e Alterthum, Flavio - Microbiologia - 4ªEd. - Editora Atheneu

Artigos Recomendados:

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...