sábado, 13 de agosto de 2011

Saiba quais são as vacinas e os soros produzidos pelo Instituto Butantan.

Conheça um pouco da história do Instituto Butantan e veja uma relação dos soros e das vacinas produzidos por esse órgão internacionalmente reconhecido por suas pesquisas cientificas e no desenvolvimento e produção de imunobiológicos.

Relação dos soros e vacinas produzidos pelo Instituto Butantan
by Roberto M.
Como surgiu o Instituto Butantan? Quais os tipos de vacinas e soros produzidos?
Tudo começou devido a um surto de peste bubônica que se difundia no Porto de Santos no ano de 1898. Essa epidemia levou o governo do estado a adquirir a Fazenda Butantan, com o intuito de lá instalar um laboratório para produzir o soro antipestoso, inicialmente vinculado ao Instituto Bacteriológico (atual Adolpho Lutz).

Em fevereiro de 1901, esse laboratório passou a ser uma instituição autônoma com a denominação de Instituto Serumtherápico. Seu primeiro diretor foi o médico sanitarista Vital Brasil Mineiro da Campanha, que anteriormente, residindo em Botucatu – SP, realizava experimentos e desenvolvia estudos sobre soros contra veneno de serpentes.
Após a peste bubônica ser controlada, Vital Brasil deu prosseguimento aos seus estudos e iniciou a preparação de soros antiofídicos. Sua mente visionária e pujante fez com que iniciasse também a produção de vacinas no instituto. O artigo “Soros e Vacinas. Qual a diferença” nos mostra a diferença entre esses dois tipos de medicamentos e abaixo temos a relação dos soros e vacinas produzidos no Instituto Butantan.

Soros Antipeçonhentos

- Antibotrópico: atua contra os efeitos do veneno da jararaca, jararacuçu, cotiara, caiçara, urutu.
- Anticrotálico: atua contra os efeitos do veneno da cascavel.
- Antilaquético: atua contra os efeitos do veneno da surucucu.
- Antielapídico: contra o veneno da coral
- Antibotrópico-laquético: contra o veneno da jararaca, jararacuçu, cotiara, caiçara, urutu e surucucu.
- Antiaracnídico: atua contra o veneno da aranha armadeira (gênero Phoneutria), da aranha marrom (gênero Loxosceles) e do escorpião brasileiro (gênero Tityus).
- Antiescorpiônico: contra o veneno dos escorpiões brasileiros (gênero Tityus)
- Antilonomico: contra o veneno de taturanas (gênero Lonomia).

Outros tipos de Soros

- Antitetânico: medicação contra o tétano.
- Anti-rábico: para tratar a raiva.
- Antidiftérico: terapia para a difteria.
- Anti-botulínico – “A”: trata o botulismo do tipo “A”
- Anti-botulínico – “B”: trata o botulismo do tipo “B”.
- Anti-botulínico – “ABE”: trata o botulismo dos tipos “A”, “B” e “E”.
- Anti-timocitário: para reduzir a rejeição de certos órgãos transplantados.
Obs.: esse soro é produzido de duas maneiras: a primeira maneira é pela hiperimunização de cavalos com células de glândulas localizadas no pescoço (timo humano). A segunda é pela utilização de células obtidas em equipamentos chamados bioreatores.

Algumas Vacinas

- Toxóide tetânico: previne contra o tétano. Esse toxóide é utlizado na produção das vacinas dupla e tríplice.
- Toxóide diftérico: previne contra a difteria. Esse toxóide é utlilizado na produção das vacinas dupla e tríplice.
- Vacina dupla (dT): previne contra a difteria e o tétano em pessoas acima de 11 anos.
- Vacina tríplice (DTP): previne contra a difteria, o tétano e a coqueluche (Pertussis).
- BCG intradérmico: previne contra a tuberculose.
- Vacina anti-rábica (uso humano): previne contra a raiva.
- Vacina Hepatite B: previne contra a hepatite do tipo B.
- Vacina da gripe (Influenza): por um acordo firmado com o Laboratório Aventis Pasteur/França, o Instituto Butantan envasa e distribui nacionalmente a vacina contra a gripe.

Hoje, o Instituto Butantan, além da produção de soros e vacinas, desenvolve pesquisas biotecnológicas, sendo um órgão internacionalmente reconhecido devido à sua função social na atividade de pesquisa científica e no desenvolvimento e produção de imunobiológicos, observando sempre os mais altos graus de biosegurança e bioética. Veja no artigo Como são produzidos Soros e Vacinas no Instituto Butantan.” o método de produção desses medicamentos curativos e preventivos.
Bibliografia – Série Didática – Número 2 e Número 7 – Divisão de Desenvolvimento Cultural - Instituto Butantan

Artigos Recomendados:

Um comentário:

  1. será? que alumas das vacinas é prejudicial ou podem causar efeitos colaterais...???

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...