terça-feira, 24 de abril de 2012

Regulação da Ingestão de Alimentos. Noções Gerais

Fome, Apetite, Saciedade, fazem parte dos mecanismos de regulação da ingestão dos alimentos

Regulação da Ingestão de Alimentos. Não é bom comer muito nem pouco. Tem que comer o suficiente.
by Roberto M.
Vimos no artigo “Alimentação Saudável. Os nutrientes e suas funções. ” que devemos ter uma alimentação equilibrada, que nos forneça energia e todos os nutrientes necessários ao bom funcionamento do nosso organismo.
Vimos também que nutrientes são: as proteínas, as gorduras, os carboidratos, as vitaminas e os sais minerais, as fibras e a água.

Como os diferentes alimentos contêm proporções distintas de nutrientes, é preciso que seja mantido um equilíbrio apropriado entre os vários tipos de alimentos para que todos os seguimentos dos sistemas metabólicos sejam supridos com os nutrientes necessários.

As necessidades metabólicas do organismo devem ser supridas pela ingestão adequada de alimentos, ou seja, a quantidade ingerida deve ser suficiente, e não demasiada a ponto de causar obesidade.

Para isso, o organismo conta com mecanismos que regula a quantidade de alimento ingerido. 


FOME

É o termo utilizado para definir um forte desejo de alimento que está associado a várias sensações objetivas. Quando uma pessoa fica várias horas sem se alimentar, por exemplo, o estomago sofre intensas contrações rítmicas, conhecidas como contrações da fome. Essas contrações provocam, algumas vezes, dor na boca do estomago, conhecida como dor da fome. Mesmo pessoas que fizeram a remoção do estomago sentem sensações psíquicas de fome, fazendo com que procurem um suprimento adequado de alimentos. 

APETITE

Geralmente é um termo utilizado com o mesmo sentido de fome, mas com uma diferença: apetite implica o desejo por certos tipos bem definidos de alimentos, e não de qualquer um. O apetite ajuda na escolha da qualidade do alimento que a pessoa irá ingerir. 

SACIEDADE

A saciedade é o oposto da fome. Significa uma sensação de completa satisfação em relação à necessidade de alimentos. Em geral, a saciedade surge após uma refeição completa, principalmente quando o tecido adiposo e as reservas de glicogênio (depósitos de armazenamento nutricional), já estão repletos.


CENTROS NEURAIS 

Existem centros neurais que regulam a ingestão de alimentos. Por exemplo, podemos rotular os núcleos laterais do hipotálamo como centro da fome, enquanto os núcleos ventromediais do hipotálamo constituem o centro da saciedade. Centros superiores ao hipotálamo (amígdalas e córtex pré-frontal) desempenham importante papel no controle do apetite. 

FATORES DE REGULAÇÃO 

Podemos dividir os fatores que regulam a quantidade de alimento ingerido em duas categorias: 

1) Regulação energética, também chamada de regulação em longo prazo, que está relacionada à manutenção de quantidades normais de reservas energéticas em longo prazo no organismo. Esse sistema de regulação ajuda a manter as reservas de nutrientes constantes nos tecidos, evitando que fiquem excessivamente baixas ou elevadas. 

2) Regulação alimentar, também conhecida como regulação em curto prazo, que está relacionada com o mecanismo de evitar a superalimentação durante cada refeição. Esse sistema de regulação faz com que a pessoa se alimente com menores quantidades, permitindo uma circulação do alimento pelo trato gastrintestinal num ritmo mais uniforme, fazendo com que os mecanismos digestivos e absortivos atuem de forma otimizada. 
Bibliografia:Guyton & Hall – Tratado de Fisiologia Médica –Cap. 71 -  9ª edição – Editora Guanabara Koogan. 

Artigos Recomendados:

Um comentário:

  1. Olá Roberto, muito interessante este artigo e também muito esclarecedor.
    Complemento lembrando da Síndrome de Prader-Willi, cujo portador tem uma deficiência relacionada ao hipotálamo, região do cérebro que controla a saciedade. A pessoa não fica saciada nunca, sente necessidade de se alimentar constantemente, o que provoca obesidade doentia.
    Nelsina Ventura

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...