quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Dermatófitos e Dermatofitoses. Micoses Superficiais.

As dermatofitoses, conhecidas ainda por tinhas ou dermatomicoses, são afecções de pele ou micoses superficiais causadas por um grupo de fungos conhecidos como dermatófitos. As dermatofitoses mais populares são as chamadas de “pé de atleta” ou “frieira”.

Dermatofitoses ou dermatomicoses causadas pelos dermatófitos
by Roberto M.
As micoses superficiais compreendem grupos de afecções causadas por fungos, limitadas às camadas queratinizadas ou semiqueratinizadas da pele, ou localizadas na sua superfície, atingindo pele e mucosas.
Esse tipo de afecção, conhecida por dermatofitose, dermatomicose ou tinha, normalmente não é perigosas, já que o fungo não está equipado para invadir o corpo. Ele alimenta-se apenas das células mortas queratinizadas da pele, unhas ou pêlos. 

Contudo, é de difícil resolução, pois o sistema imunitário não tem acesso a esses tecidos externos mortos.

DERMATÓFITOS

Dermatófitos é uma designação comum para um grupo de três gêneros de fungos que causam infecções em animais e humanos denominadas dermatofitoses. Eles causam infecções na pele, cabelo e unhas devido à sua capacidade de obter nutrientes de matéria queratinizada.

Os dermatófitos apresentam-se na forma assexuada ou anamorfa e são fungos dos gêneros Microsporum (M.audouinii, M.canis, M.gypseum), Trichophyton (T.tonsurans, T.mentagrophytes, T.rubrum e T.shoenleinii) e Epidermophyton (E.floccosum).
As espécies capazes de reprodução sexuada pertencem ao gênero teleomórfico Arthroderma.
Podem ser exclusivos da espécie humana (antropofílicos), próprios de animais domésticos ou silvestres (zoofílicos) ou vivem no solo (geofílicos).

Existem dermatófitos restritos geograficamente e outros de ocorrência mundial. O Tricophyton rubrum, por exemplo, é o dermatófito mais comum no mundo inteiro, enquanto o Tricophyton concentricum é endêmico em algumas áreas do sul do Pacífico e na América do Sul. Fatores como migração e viagens turísticas contribuíram para variações na distribuição geográfica dos dermatófitos.

DERMATOFITOSES

As lesões decorrem da presença do próprio fungo ou em virtude da reação de hipersensibilidade específica ao agente causal ou a seus produtos, as dermatofítides.
De acordo com a localização, compreendem: tinha do couro cabeludo, da barba, do pé e da mão, do corpo, inguinal, imbricada e das unhas.

Geralmente a sua ocorrência restringe-se à camada cornificada da epiderme devido à sua incapacidade de penetrar tecidos vivos em hospedeiros imunocompetentes.
Presentemente há descritas mais de 40 espécies de dermatófitos, porém apenas 12 infectando, com frequência, o homem.
A mesma espécie pode produzir quadros clínicos bem diferentes e, inclusive, com seletividade de grupos etários.

Vamos ver alguns dos tipos de dermatofitoses ou tinhas:
1) Tinea corporis: afeta a pele sem pelo do corpo. É o tipo de maior incidência no ser humano, todos os gêneros estão envolvidos, acomete adultos e crianças. Causada pelos fungos M. canis ou T.mentagrophytes.

Tinea corporis na barriga

2) Tinea pedis: conhecia popularmente como "pé de atleta" ou “frieira”, caracteriza-se por lesões vesiculosas entre os dedos dos pés ou lesões com escamação nas regiões plantares do pé. Causada pelas espécies T.rubrum, T.mentagrophytes ou E.floccosum.

Tinea pedis ou pé-de-atleta ou frieira
derm
3) Tinea Cruris: caracteriza-se por lesões eritematoescamosas (avermelhadas e que descascam) nas regiões inguinais (zona dos genitais).

Tinea cruris, micose eritematosa na região inguinal

4) Tinea unguium: é uma micose que acomete as unhas, pode ser causada por quase todas as espécies de dermatófitos. As lesões apresentam aspectos variáveis: desde simples manchas esbranquiçadas até espessamentos que causam destruição da lâmina externa da unha e hiperqueratose subungueal (unha amarela grossa). As onicomicoses acontecem quando há sobreinfecção por Candida albicans.

Tinea unguium, dermatomicose das unhas

5) Tinea barbae: Também conhecida como sicose ou tinha da barba, face e pescoço. São lesões localizadas na face, na zona que existe barba. Podem ser superficiais (anulares com bordos vesiculo-pustulosos) ou profundas (massas nodulares infiltradas de cor vermelho-arroxeada). É causada por agentes dermatófitos zoofílicos (de animais) Não tem uma incidência muito grande e quando existe, é quase que exclusivamente nos meios rurais.

Tinea barbae na face

6) Tinea capitis supurativa: é uma tinha que acomete o couro cabeludo e pode surgir em qualquer idade. É caracterizada pelo aparecimento de placas escamo-crostosas de cor amarelada, em forma de favo e cheiro ruim. Leva à queda do cabelo definitivamente. Conhecida como tinha favosa ou favo tem como agente etiológico T. schoenleinii.

Tinea capitis supurativa no couro cabeludo.

7) Tinea capitis tonsurante tricofítica: também acomete o couro cabeludo. Caracteriza-se pelo aparecimento de um elevado número de pequenas placas em locais em que há a queda do cabelo (as placas contêm os cotos do cabelo tonsurado). O cabelo voltará a crescer, pois a tinha evolui para a cura espontânea, normalmente na puberdade. Entretanto, há casos em que ela pode vir a persistir no adulto. Tem como agentes T. tonsurans, T. violaceum e T. rubrum.

Tinea capitis tonsurante tricofítica no couro cabeludo

8) Tinea capitis tonsurante microscópica: é outro tipo de tinha que acomete a cabeça e é caracterizada pelo aparecimento de grandes placas circulares, onde a tonsura é total. Surge de uma forma muito contagiosa, principalmente nos jovens. A cura é espontânea na puberdade e não deixa vestígios. Tem como agentes M. canis e M. audouini.

Tinea capitis tonsurante microscópica no couro cabeludo

As dermatofitoses representam a infecção fúngica mais comum do homem.
Ocorrem com maior frequência após a puberdade. Uma exceção é a Tinea capitis tonsurante, que acomete primariamente crianças pré-púberes e regride espontaneamente com a puberdade.
Portadores assintomáticos existem e torna complexa, pelo menos, parcialmente, a interpretação de dados epidemiológicos.

As tinhas são afecções que podem permanecer por longos períodos, principalmente nas zonas mais úmidas do corpo (inguinais) e nas zonas interdigitais (entre os dedos dos pés).
Entretanto, tratamentos médicos podem resolver ou diminuir a intensidade do problema.

Artigos Recomendados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...