sábado, 9 de fevereiro de 2013

Tinea Capitis. A micose do couro cabeludo.

Tinea capitis é o nome científico das micoses no couro cabeludo. Essa infecção fúngica é muito contagiosa e é uma das dermatofitoses. A tinha do couro cabeludo acomete principalmente as crianças entre 3 e 10 anos de idade.

Tinha do couro cabeludo - Tinea Capitis.
by Roberto M.
Já falamos em outro artigo sobre as micoses superficiais causadas por fungos, ou seja, os dermatófitos e as dermatofitoses.
Uma das afecções por dermatófitos é a Tinea Capitis, vulgarmente chamada de tinha do couro cabeludo.
Hoje vamos falar especificamente dessa infecção fúngica, que aparece no couro cabeludo, principalmente das crianças em idade escolar.

Tinea capitis é o nome científico das micoses no couro cabeludoA Tinea capitis é uma infecção mais frequente em crianças, especialmente nas idades entre 3 a 10 anos.

CAUSAS DA TINEA CAPITIS

A maioria destas infecções fúngicas são causadas por fungos distintos:
- Trichophyton tonsurans
- Trichophyton schoenleinii
- Trichophyton violaceum
- Trichophyton rubrum.
- Microsporum canis
- Microsporum audouini

As espécies de fungos responsáveis por causar Tinea Capitis variam de acordo com a região geográfica e também podem mudar ao longo do tempo.
Por exemplo, o Microsporum audouini foi o agente etiológico predominante na América do Norte e Europa até 1950, mas hoje, o mais comum é o Trichophyton tonsurans.
Os fungos que causam a tinha do couro cabeludo produzem esporos que são eliminados na roupa da criança infectada, escovas ou pentes, e até mesmo para o ar em torno da criança.

Esses esporos podem sobreviver por meses em objetos.
O início desse tipo de afecção se dá depois que as crianças entram em contato com uma pessoa ou animal infectado, ou depois que elas entram em contato com os esporos de alguma outra maneira.
Por exemplo, uma fonte comum de esporos são colegas ou adultos que carregam os esporos sobre a pele ou couro cabeludo sem estarem infectados.Podem transmitir-se, também, pelo contacto com animais domésticos infectados (como cães) ou pela terra.

Os seguintes fatores podem aumentar a chance de uma criança contrair uma infecção tinea capitis:
- Partilhar toalhas, escova de cabelo, pente, grampos, tiaras, bonés, chapéus, travesseiros ou almofadas.
- Lugares superlotados e aglomerações.
- Famílias numerosas, com muitas crianças.
- Baixo nível sócio-econômico.

EPIDEMIOLOGIA DA TINEA CAPITIS

A Tinea do couro cabeludo é uma doença contagiosa que chega a ser endêmica em muitos países.
Atinge principalmente as crianças em idade escolar (pré-puberal) de 3 a 10 anos. É mais comum nos homens do que nas mulheres e, raramente, persiste após os 16 anos de idade. Isso porque a propagação, normalmente, ocorre através do contato direto entre os indivíduos atingidos.

Os grandes surtos são comuns em escolas ou lugares onde crianças ficam aglomeradas e em contato direto umas com as outras.
No entanto, a propagação indireta através da contaminação com objetos contaminados (fômites) também pode ser um importante fator na propagação da infecção.
Há estudos que indicam que a Tinea Capitis ocorre em cerca de 3 a 8 % da população pediátrica e que até um terço das famílias que têm contato com uma pessoa infectada abrigam a doença sem apresentar sintomas.

SINTOMAS DA TINEA DO COURO CABELUDO

A tinea do couro cabeludo pode se apresentar de diversas formas. O sintoma mais comum é a perda de cabelo em algumas zonas, que podem aumentar e confluir entre si ou ter áreas com cotos pilosos.
Há também uma erupção, que pode ser diferente, dependendo se o fungo penetra ou não no interior da haste do cabelo.

Pode haver zonas descamativas (às vezes dolorosas com crostas amareladas) ou comichão no couro cabeludo.
A complicação mais frequente da tinea capitis é a infecção bacteriana secundária, que por vezes obriga ao uso de antibiótico.
Existem três tipos de tinea capitis baseados no microorganismo causador, bem como na natureza dos sintomas:

Tinea capitis supurativa: é uma tinha que acomete o couro cabeludo e pode surgir em qualquer idade. É caracterizada pelo aparecimento de placas escamo-crostosas de cor amarelada, em forma de favo e cheiro ruim. Leva à queda do cabelo definitivamente. Conhecida como tinha favosa ou favo tem como agente etiológico T. schoenleinii.

Tinea Capitis Supurativa

Tinea capitis tonsurante tricofítica: também acomete o couro cabeludo. Caracteriza-se pelo aparecimento de um elevado número de pequenas placas em locais em que há a queda do cabelo (as placas contêm os cotos do cabelo tonsurado). O cabelo voltará a crescer, pois a tinha evolui para a cura espontânea, normalmente na puberdade. Entretanto, há casos em que ela pode vir a persistir no adulto. Tem como agentes T. tonsurans, T. violaceum e T. rubrum.

Tinea Capitis Tonsurante Tricofítica.

Tinea capitis tonsurante microscópica: é outro tipo de tinha que acomete a cabeça e é caracterizada pelo aparecimento de grandes placas circulares, onde a tonsura é total. Surge de uma forma muito contagiosa, principalmente nos jovens. A cura é espontânea na puberdade e não deixa vestígios. Tem como agentes M. canis e M. audouini.

Tinea Capitis Tonsurante microscópica.

DIAGNÓSTICO DA TINEA CAPITIS

Às vezes, a tinea capitis pode ser confundida com outros tipos de doenças de pele que causam descamação, como psoríase e dermatite seborréica, por isso, deve ser diagnosticada com algum critério.
A base para o diagnóstico é o exame microscópico positivo e cultura microbiana de pêlos depilados

A tinha do couro cabeludo é diagnosticada através de vários métodos:
- Pelo exame direto com uma lâmpada apropriada (lâmpada de Wood) que mostra o cabelo infectado com uma cor diferente (azul, verde, amarelo, branco) dependendo do fungo que o está infectando.
- Pelo exame microscópico de raízes de cabelos e/ ou de escamas das lesões onde é possível identificar imediatamente o fungo.
- A cultura de fungos do cabelo ou couro cabeludo, que pode mostrar o tipo de fungo que está causando a infecção e permite o diagnóstico entre 10 a 14 dias.

TRATAMENTO DA TINEA CAPITIS

A tinha do couro cabeludo não deve ser tratada com cremes antifúngicos tópicos.
O tratamento deve basear-se no uso de antifúngicos por via oral e dura, no mínimo, seis semanas, podendo durar vários meses.
Os antifúngicos mais comuns nesses tratamentos são a terbinafina, o itraconazol e o fluconazol.

É importantíssima a orientação médica para o tratamento. Os antifúngicos são, normalmente, remédios de alta toxicidade. Nunca se deve tomar medicamentos sem a supervisão de um profissional de saúde.
Uma pessoa pode ter tinha do couro cabeludo mais do que uma vez na vida.

PREVENÇÃO DA TINEA CAPITIS

A melhor maneira de prevenir uma infecção tinea capitis é usar o bom senso.
Não compartilhar pentes, escovas, chapéus com pessoas fora de sua família.
Evite contato com crianças que apresentem erupção no couro cabeludo ou com animais com erupção em qualquer lugar.

Prevenir infecções recorrentes ou infecções em pessoas que mantêm contato com outras infectadas (como familiares, por exemplo) já é um pouco mais complicado.
Por isso, pentes, escovas e chapéus da pessoa infectada devem ser desinfetados ou jogados fora. Os membros da família devem ser examinados para detectar eventuais infecções.

O médico assistente pode indicar, para os familiares, o uso de xampu antifúngico, pois isso pode ajudar a prevenir a transmissão da tinea capitis, embora ainda não seja completamente confirmada a eficácia desse procedimento.
Bibliografia: 1- Sobera, Jenny & Boni Elewski. "Fungal Infections." Dermatology, 2nd Ed. Eds. Jean Bolognia, and et. al. Mosby, 2008. 1141-3.
                    2 - Habif, Thomas. "Fungal Infections." Clinical Dermatology, 4th Edition. Ed. Thomas Habif, MD. New York: Mosby, 2004. 427-33.

Artigos Recomendados:

12 comentários:

  1. Gostaria de tirar duvidas, se este tipo de micose, vem da lectospirose?
    Pode derar cancer de pele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Francisco,
      A tínea capitis é uma infecção fúngica, ou seja, devido a fungos como os citados no artigo. Para tratá-la é necessária a utilização de antifúngico (medicamento que mata o fungo). É importante a orientação médica para o tratamento, pois às vezes, pode existir alguma outra doença que pode ser confundida com a tínea capitis e, aí sim, produzir coisas mais graves.

      Excluir
  2. Pode contrair através das navalhas nas barbearias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É possível sim, desde que a navalha seja um fômite, ou seja, um objeto contaminado com o fungo.

      Excluir
    2. Pode,ser contraída através de animais? Cachorro gatos etc.,?

      Excluir
    3. Se o animal estiver contaminado pelo fungo, poderá sim ser um transmissor da doença.

      Excluir
  3. To fazendo esse tratamento,quanto tempo se tem efeito ?
    Por que ainda não vir nem um.

    ResponderExcluir
  4. Minha filha tem o fungo pedra branca no cabelo o que fazer o que usa

    ResponderExcluir
  5. Tenho muita coceira no couro cabeludo,lavo com xampu cetoconazol ms só alivia um dia dps começa de novo..devo usar fluconazol?

    ResponderExcluir
  6. Meu filho teve a pouco tempo a medica falou q no local fica tipo uma cicatriz e pode nunca mas nascer cabelo..vc conhece algum caso assim?

    ResponderExcluir
  7. Meu filho tambem está com isto ! Igual a segunda foto !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...