terça-feira, 29 de julho de 2014

Os malefícios da bebida em excesso. Os graus de risco do álcool.

Os efeitos do álcool, sobre a saúde, dependem da quantidade de bebida. Não há nível seguro de consumo. Quanto mais se bebe, maior é o risco para a saúde.

Riscos e malefícios da bebida alcoólica em excesso.
by Roberto M.
A maioria das pessoas que têm problemas de saúde relacionados ao álcool não são alcoólatras. Elas são, simplesmente, pessoas que, regularmente, bebem mais do que os níveis recomendados, por vários anos seguidos.
Beber mais do que os limites diários recomendados, regularmente, aumenta o risco de danos à saúde.
Entenda como regularmente, o consumo de bebida alcoólica todos, ou quase todos, os dias da semana.

Não existe nenhum nível seguro, garantido, para o consumo de bebida alcoólica, mas quando se bebe menos do que os limites diários recomendados, os riscos de prejuízo à saúde diminuem bastante.
Certamente, não são apenas as pessoas que ficam, sempre, completamente bêbadas, ou que se embriagam, eventualmente, numa farra de bebidas qualquer, que estão propensas a danos à saúde.

A maioria das pessoas que bebe, regularmente, mais do que a recomendação diária da OMS (Organização Mundial da Saúde), não percebe qualquer efeito danoso em princípio. Entretanto, existem danos ocultos produzidos pelo álcool que, normalmente, só surgem depois de um certo número de anos. A partir daí, então, sérios problemas de saúde podem ter se desenvolvido.
Problemas de fígado, redução da fertilidade, pressão alta, aumento do risco de vários tipos de câncer e ataque cardíaco são alguns dos inúmeros efeitos prejudiciais do beber, regularmente, mais do que os níveis recomendados.

Os efeitos do álcool sobre a saúde, dependem da quantidade de bebida. Quanto mais se bebe, maior é o risco para a saúde.
Leia o artigo “Definindo Dose de álcool. Calculando a quantidade de álcool das bebidas alcoólicas” para ter uma noção da quantidade de álcool que existe nas suas bebidas. Veja também, a definição e o modo de calcular “doses de álcool”.

As pessoas que bebem, podem ser divididas em três categorias de risco:
- bebedores de baixo risco
- bebedores de médio risco
- bebedores de alto risco

BEBEDORES DE BAIXO RISCO

Estar nessa categoria significa ter um baixo risco de adquirir doenças devido ao álcool, no futuro.
Entretanto, note que estamos falando em “limite de baixo risco” e não “limite seguro” pois, consumir álcool nunca será completamente seguro.

Veja as recomendações da OMS para que que se possa considerar um “bebedor de baixo risco”:
- Homens não devem beber, regularmente, mais do que 3 ou 4 doses de álcool por dia.
- Mulheres não devem beber, regularmente, mais do que 2 ou 3 doses de álcool por dia.
- Lembre-se que, regularmente é considerado o consumo de bebida alcoólica todos, ou quase todos, os dias da semana.

Mas fique bem claro o seguinte: mesmo beber menos do que isso pode ser não aconselhável em algumas circunstâncias. Uma quantidade mínima de álcool já pode ser muito se você vai dirigir, operar máquinas, nadar, ou fazer atividades físicas extenuantes.
Mulheres grávidas ou mulheres tentando engravidar não devem beber álcool. O álcool atinge o bebê através da placenta e, uma exposição demasiada ao álcool pode afetar seriamente o desenvolvimento do bebê.
As grávidas não devem consumir mais do que 1 ou 2 doses de álcool, uma ou duas vezes por semana, além de nunca se embriagar. Isso diminui, um pouco, os riscos para o bebê.
Todas as pessoas que bebem deveriam procurar se enquadrar nessa categoria de “risco baixo” para minimizarem os problemas de saúde devido ao álcool.

BEBEDORES DE MÉDIO RISCO

Estar nessa categoria significa ter um risco maior de adquirir doenças devido ao álcool.
O álcool afeta todas as partes e sistemas do corpo e isso pode interferir em inúmeras condições médicas.

Veja as recomendações da OMS para que que se possa considerar um “bebedor de médio risco”:
- Homens que bebem, regularmente, entre 4 e 8 doses de álcool por dia.
- Mulheres que bebem, regularmente, entre 3 e 6 doses de álcool por dia.
- Lembre-se que, regularmente é considerado o consumo de bebida alcoólica todos, ou quase todos, os dias da semana.
Quem bebe em torno desses níveis tem um risco muito maior de desenvolver doenças graves do que os não bebedores.

Vejam algumas estatísticas referentes ao bebedores de “médio risco”:
- Os homens têm de 1,8 a 2,5 vezes mais chances de adquirirem câncer de boca, pescoço e garganta, e as mulheres serão de 1,2 a 1,7 vezes mais propensas a adquirirem as mesmas doenças.
- As mulheres têm 1,2 vezes mais probabilidade de terem câncer de mama.
- Os homens são 2 vezes mais propensos a desenvolver cirrose hepática, e as mulheres são 1,7 vezes mais propensas.
- Os homens têm 1,8 vezes mais chances de desenvolverem hipertensão. As mulheres 1,3 vezes mais propensas.

Quanto mais se bebe, maiores serão os riscos. Se você é um bebedor de “médio risco” mas bebe substancialmente nos limites desse nível, poderá ter riscos ainda maiores dos que os mencionados acima.
Nesses níveis de bebida, problemas como fadiga, depressão, ganho de peso, falta de sono e problemas sexuais poderão estar relacionados ao consumo de álcool.
Seja qual for a idade ou o sexo, a condição física estará debilitada devido ao consumo de álcool.
Esse nível de consumo de álcool já faz com que as pessoas falem muito e, às vezes, coisas sem nexo, o que pode afetar negativamente o relacionamento com familiares e amigos.

BEBEDORES DE ALTO RISCO

As pessoas que se enquadram nesse grupo têm um risco ainda maior de prejudicar a saúde em comparação com os bebedores de “médio risco”.

Veja as recomendações da OMS para que se possa considerar um “bebedor de alto risco”:
- Homens que bebem, regularmente, mais de 8 doses de álcool por dia ou mais de 50 doses por semana.
- Mulheres que bebem, regularmente, mais de 6 doses de álcool por dia ou mais de 35 doses por semana.
- Lembre-se que, regularmente é considerado o consumo de bebida alcoólica todos, ou quase todos, os dias da semana.
Sempre, e aqui não é diferente, o álcool interfere em várias condições de saúde. Nesse nível, o risco de desenvolver alguma doença relacionada ao álcool é muito grande e, provavelmente, o corpo já sofreu algum dano, mesmo que ainda não esteja aparente.

Vejam algumas estatísticas dos que bebem nos níveis de “alto risco”, comparando-se com os não bebedores:
- Há de 3 a 5 vezes mais chances de ter câncer na boca, pescoço e garganta.
- Há de 3 a 10 vezes mais chances de desenvolver cirrose hepática.
- Os homens têm 4 vezes mais chances de terem hipertensão. As mulheres 2 vezes mais.
- Há 2 vezes mais chances de ter batimento cardíaco irregular.
- As mulheres têm 1,5 vezes mais chances de desenvolverem câncer de mama.

Quanto mais se bebe, maiores serão os riscos. Se você é um bebedor de “alto risco” mas bebe substancialmente acima dos limites desse nível, poderá ter riscos ainda maiores dos que os mencionados acima.
Nesses níveis de bebida, problemas como fadiga, depressão, ganho de peso, falta de sono e problemas sexuais estarão muito mais potencializados.
Fonte: The risks of drinking too much – Artigo do NHS Choices (website de saúde do Reino Unido).

Artigos Recomendados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...