sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Quais as diferenças entre medicamentos industrializados e medicamentos manipulados?

Entenda a diferença entre medicamentos industrializados e medicamentos manipulados e saiba questionar a necessidade e conveniência de um e de outro.

Descubra a diferença entre medicamentos manipulados e medicamentos industrializado.
by Roberto M.
Sempre que vamos ao médico, infalivelmente, voltamos com uma receita de remédio ou medicamento para comprar.
Outro dia, em um outro artigo, falamos sobre “Qual a diferença entre remédio e medicamento”, leia e relembre.
Os medicamentos receitados podem ter as mais variadas especificações. Eles podem ter várias “formas farmacêuticas e ou vias de administração”. Clique no link e relembre sobre isso também.

Dependendo do que estiver escrito na receita, às vezes, precisamos ir a uma farmácia ou drogaria comum, às vezes, necessitamos de ir a uma farmácia de manipulação e, outras vezes, podemos escolher se queremos manipulado ou industrializado.
Mas, por que existem essas possibilidades? Medicamento industrializado é pior ou melhor que o manipulado?

É bom que se saiba que, um não é nem melhor nem pior que o outro.
Eles existem, concomitantemente, para atender a contingências especiais de uso e necessidades individuais dos pacientes.

Às vezes, um é mais caro que o outro. Às vezes, é o outro que é mais caro que o um.
Às vezes, existe a necessidade, imprescindível, de que o medicamento prescrito seja manipulado; outras, essa necessidade nem é tão grande assim.
Por isso, é necessário ficarmos atentos às possibilidades e valorizarmos, sempre que possível, o custo/benefício da nossa aquisição.

Não custa nada questionar o médico, quando da prescrição, para termos plena consciência do que precisamos e do que podemos comprar.
Para que possamos discutir com um pouco mais de conhecimento, vou listar, abaixo, algumas das principais características de cada tipo de medicamento.
Assim, poderemos analisar as diferenças.

MEDICAMENTOS INDUSTRIALIZADOS

– São produzidos, em larga escala, pelas indústrias, que utilizam equipamentos com capacidade para fabricar grande quantidade de unidades por vez.
- As concentrações e dosagens produzidas são padronizadas, de modo a serem utilizados pela maioria dos pacientes. O médico faz a adaptação, da dosagem ao paciente, na hora da prescrição.

- Existe controle de qualidade durante toda o processo de produção. O fabricante analisa as matérias-primas, os materiais de embalagem e os produtos acabados.
– Profissionais farmacêuticos qualificados estão presentes para supervisionar todos os processos de fabricação.

– As embalagens são padronizadas. Os rótulos contêm informações obrigatórias: sobre o fabricante, lote, fabricação, validade, farmacêutico responsável, entre outros.
– Os dados sobre indicação, uso, efeitos colaterais, contraindicações e cuidados de conservação estão descritos na bula, que acompanha a embalagem do medicamento.

– Nas suas fórmulas estão presentes estabilizantes e conservantes. Por isso, os medicamentos industrializados possuem um tempo maior de prazo de validade; prazo esse definido com base em estudos de estabilidade.
– Todos os medicamentos industrializados devem ser, obrigatoriamente, registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

MEDICAMENTOS MANIPULADOS

– Os medicamentos manipulados são feitos para atender à prescrição médica e em quantidade suficiente às necessidades específicas do paciente.
– A dosagem ou concentração do medicamento manipulado é prescrita, especificamente, para cada paciente, sendo, portanto, de uso personalizado.

– Como a escala de produção é reduzida, vários dos testes de controle de qualidade, exigidos da indústria, não são viáveis nas farmácias de manipulação. Sendo assim, as análises das matérias-primas e dos materiais de embalagem são feitos pelos fornecedores.
– Somente alguns testes são refeitos nas farmácias. É feita a conferência dos produtos com a fórmula e realizados alguns testes para verificar sua conformidade.
– Profissionais farmacêuticos qualificados estão presentes para supervisionar todas as etapas da manipulação.

– As embalagens possuem rótulos contendo informações sobre a farmácia manipuladora, data de produção e validade do produto, farmacêutico responsável e cuidados com a conservação.
– Os medicamentos manipulados não contêm bula. As informações sobre o uso, possíveis efeitos colaterais e contraindicações deverão ser prestadas pelo médico que prescreveu e pelo farmacêutico da farmácia na entrega do medicamento.

– Por ser um medicamento preparado para atender, exclusivamente, às necessidades de um determinado paciente, em geral, o prazo de validade dos manipulados está vinculado ao período de tratamento do paciente.
– As farmácias de manipulação são registradas e fiscalizadas pelos serviços de vigilância sanitária dos estados e municípios brasileiros.

Artigos Recomendados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...