segunda-feira, 21 de março de 2011

Hiperidrose. A doença do suor excessivo.

by Roberto M.
Hiperidrose é a produção excessiva de suor pelas glândulas sudoríparas.
Esse excesso de transpiração acaba gerando mal estar e desconforto na vida pessoal, na vida social e na vida profissional dos indivíduos.
É um problema que pode ocorrer em pessoas de ambos os sexos e pode surgir na infância.
A hiperidrose se caracteriza pelo aparecimento dos seguintes sintomas: sudorese intensa nas mãos, nos pés, nas axilas, na cabeça e na face. A sudorese palmar é a mais comum.

Ainda são desconhecidas as causas da hiperidrose. A única coisa que se sabe, é que se trata de um desequilibrio no sistema nervoso simpático.
O sistema nervoso simpático faz parte do sistema nervoso global do indivíduo e é responsável pelo controle involuntário de orgãos internos.

Existem várias opções para tratar da hiperidrose, mas a maioria delas diminuem a sudorese somente durante o tratamento, sendo apenas paliativas, não eliminando o problema.
Dentre as opções terapêuticas para tratamento da hiperidrose podemos citar: remédios de uso local que diminuem a secreção de suor e a iontoforese (medicamentos são administrados pela pele, por um equipamento, facilitando assim a penetração nas glândulas sudoríparas).

Podem ser usados também, remédios de ingestão via oral, mas estes além de proporcionarem alívio apenas parcial, têm o inconveniente de apresentarem muitos efeitos colaterais, tais como: boca seca, sonolência e alteração de visão.

Uma outra alternativa de tratamento é a toxina botulínica, que interrompe a secreção de suor nas áreas em que é aplicada. Entretanto, essa opção tem mais inconvenientes do que benefícios: alto custo, durabilidade do efeito de poucas semanas e muitas picadas de injeções (cerca de 40 por local).

Hoje, conhece-se apenas uma forma de tratamento definitivo para a hiperidrose, que é a interrupção da ação da cadeia simpática, eliminando a estimulação da produção de suor.
Esta interrupção é feita por um procedimento cirúrgico de baixo risco, que remove um segmento do nervo ou o secciona em alguns pontos específicos.

Estudos mostram que cerca de 1% das pessoas operadas começam a ter sudorese em locais que não apresentavam hiperidrose anteriormente, mas raramente são comprometidos os resultados globais.
Este tipo de cirurgia é contra-indicado para o tratamento isolado da hiperidrose dos pés.

Artigos Recomendados:

6 comentários:

  1. Muito boa matéira. Eu tenho essa merda no rosto, e me incomoda muito... o problema é que não sei se é um problema por causa da minha timidez, ou um problema indepedente da timidez.
    Isso incomoda pra caramba e acaba fazendo com que eu evite lugares, principalmente no calor... atrapalha pra caramba a vida social!!

    ResponderExcluir
  2. Minha filha tinha, fêz a cirurgia e atenuou pelo menos uns 70%. É um corte por Laser, que é feito abaixo de cada axila. A recuperação é de uns 3 dias mais ou menos. O Hosp. que possui esse equip. é publico, o Luiza de Pinho Melo em Mogi das Cruzes.

    ResponderExcluir
  3. eu tenho nas mãos e pés.

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho issuh nas axilas, atrapalha mtoooo a vida, principalmente qdo se vai abraçar alguém. Éh extremamente constrangedor. Ótimo post, sempre quis saber a causa dessa minha sudorese excessiva! =]

    ResponderExcluir
  5. Fiz a cirurgia simpatectomia e não recomendo.Fiquei com dores por uma semana, quase não conseguia respirar, de tantos remédios acabei tendo uma reação alérgica.Minha sudorese nas mãos e pés sumiram,porém tenho sudorese compensatória no rosto,cabeça,costas e pernas.Aperto as mãos dos outros de boa, porém tenho que andar com lenço nas mãos para enxugar o suor do rosto.Horrível.

    ResponderExcluir
  6. Tenho hiperidrose palmar e plantar,mas graças a um medicamento consegui atenuar bastante.O medicamento se chama driclor, infelizmente não é vendido no Brasil.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...