quinta-feira, 21 de julho de 2011

Anosmia. Cadê o cheiro que estava aqui?

A anosmia é a perda do olfato, mas também afeta o paladar, pois o cérebro utiliza o cheiro , o aroma para distinguir o sabor
by Telma M.
O que é anosmia? Por que quando se está resfriado, com o nariz entupido, além de não sentir cheiro, não se sente o sabor das comidas?
Anosmia é a perda ou redução do sentido do olfato. Não se sente o cheiro das coisas, total ou parcialmente.
 Por incrível que pareça, normalmente a anosmia é percebida quando os alimentos começam a parecer insossos.

Isso porque olfato e paladar são dois sentidos intimamente ligados. Para perceber o sabor de chocolate, por exemplo, nosso cérebro precisa das papilas gustativas para captar o sabor doce, e do nariz para captar o aroma. Depois, ele faz as devidas combinações e identifica por completo o delicioso chocolate!

Nosso paladar está programado para identificar apenas quatro sabores: salgado (que é percebido nas laterais da língua), doce (que é sentido na ponta da língua), amargo (que é sentido na parte posterior da língua) e ácido (percebido nas laterais, como o salgado). Todos os outros sabores são resultado da combinação de paladar e aroma (olfato).

Normalmente, os distúrbios do olfato e do paladar não constituem uma ameaça à vida, e por isso, eles podem não receber a atenção necessária, mas afetam a qualidade de vida das pessoas que sofrem desse mal. Mais de dois milhões de adultos se queixam de problemas de olfação nos Estados Unidos.

Apesar de parecer um problema inocente, é preciso tratar, pois as conseqüências podem se tornar graves. Basta imaginar uma situação em que esteja ocorrendo um incêndio e a pessoa não percebe o cheiro de queimado...

A anosmia pode acontecer depois de gripes e resfriados, mas alterações dos nervos que fazem a ligação do nariz com o cérebro também podem levar à doença.
Todos nós já passamos por situações em que não percebemos o sabor dos alimentos por estarmos com o nariz entupido, isso porque o vírus da gripe pode lesar temporariamente as células responsáveis por sentir os odores. Em alguns casos essa perda pode tornar-se permanente.

Várias podem ser as causas de perda do olfato. Tratamentos por radioterapia, infecções e traumatismos que seccionam os nervos que contém os receptores do olfato são alguns exemplos.
Além disso, o envelhecimento também provoca uma redução natural na percepção do olfato (existe uma redução de 1% ao ano no limiar olfativo). Sem contar o estresse, cheiros muito fortes, má nutrição, obesidade e anorexia. Em cerca de 22% dos caso não se descobre as causas. A doença nasal obstrutiva é responsável por 23% dos casos de distúrbios olfatórios.

Há algumas variações desse incômodo distúrbio: A hiperosmia, que é uma hipersensibilidade aos odores ou a Disosmia, que é uma distorção que torna os odores desagradáveis.
A disosmia pode ser causada por má higiene bucal/dental que leva a odores desagradáveis, mas depressão e epilepsia também podem provocar essa sensação.

Para se chegar ao diagnóstico de anosmia o médico ou dentista realiza exames da cavidade bucal procurando infecções ou ressecamento. Usa-se óleos aromáticos, café, alho, sabonetes para testar o olfato. Para testar o paladar usa-se açúcar, limão, sal e substâncias amargas como aloés, aspirina ou quinina.
Raramente é preciso fazer tomografias ou ressonância magnética.

No tratamento são usados corticóides orais e tópicos, antibióticos, descongestionantes, imunoterapia, e cirurgias. Mas, além disso, também envolve o uso de balas para manter a umidade da boca ou a espera, para ver se o problema desaparece com o tempo. Isso nos leva a suspeitar que não haja solução definitiva para a anosmia.

Artigos Recomendados:

Um comentário:

  1. Gostei muito do artigo, bem esclarecedor sobre o assunto anosmia.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...