sábado, 6 de agosto de 2011

Quantos e de que tipo são os ossos do Corpo Humano?

Normalmente o número de ossos de um adulto é 206
by Roberto M.
Quantos ossos há no corpo humano? O número de ossos é o mesmo a vida toda? Qual é a classificação (quais os tipos) dos nossos ossos?O que são ossos sesamóides?
No indivíduo adulto, quando se considera completado o desenvolvimento orgânico, o número de ossos é 206
Entretanto, esse número pode variar devido a alguns fatores:

1 - Fatores Etários: do nascimento à senilidade, há uma diminuição do número de ossos.
Certos ossos, nos recém-nascidos, são formados de partes ósseas que se soldam durante o desenvolvimento do indivíduo e passam a constituir um só osso na vida adulta. O osso frontal(crânio) é formado por duas porções separadas no plano mediano que se soldam no futuro. O osso do quadril, no feto, é constituído de três partes (ísquio, púbis e ílio) que posteriormente se soldam formando um único osso no adulto.
Nos indivíduos muito idosos, existe a tendência de soldadura de dois ou mais ossos. O que leva a uma diminuição do número total. O exemplo principal está nos ossos do crânio (sinostose), transformando a abóboda craniana em um único osso.

2 – Fatores Individuais: pode ser, que em alguns indivíduos persista a divisão do osso frontal na idade adulta e também que ocorram ossos extranumerários, levando, portanto, a uma variação do número de ossos.

3 – Critérios de Contagem: existe, às vezes, critérios pessoais de contagem dos ossos do esqueleto entre os anatomistas e isto explica a divergência de resultados.
Por exemplo, os ossos sesamóides (veja na classificação abaixo), dependendo do autor, são computados ou não na contagem geral. O mesmo ocorre com os ossículos da orelha média, ora computados, ora não.

Classificação dos ossos
Há várias maneiras de classificar os ossos, mas a mais difundida é aquela que leva em consideração a sua forma, classificando-o segundo a predominância de uma das dimensões (comprimento, largura ou espessura) sobre as outras.
Assim teremos:

A – Osso Longo: apresenta comprimento consideravelmente maior que a largura e espessura. Exemplos: ossos do esqueleto apendicular (fêmur, úmero, rádio, ulna, tíbia, fíbula, falanges).
O osso longo possui duas extremidades chamadas epífises e um corpo denominado diáfise. A diáfise possui em seu interior o canal medular, onde é alojada a medula óssea. Por isso os ossos longos são também conhecido por ossos tubulares. Nos ossos em que ainda não foi completada a ossificação, pode-se visualizar um disco cartilaginoso entre a epífise e a diáfise (cartilagem epifisial), relacionado com o crescimento do osso em comprimento.
O Femur é um osso longo, o comprimento predomina sobre a largura e a espessura

B – Osso plano ou laminar: apresenta comprimento e largura equivalentes, predominando sobre a expessura. Exemplos: ossos do crânio (parietal, frontal e occipital), escápula, osso do quadril.
A Escápula é um osso plano ou laminar, a largura e o comprimento são equivalentes e predominam sobre a espessura

C – Osso curto: apresenta as três dimensões equivalentes. Exemplos: ossos do carpo e do tarso.
Os Ossos do Carpo são ossos curtos, comprimento, largura e espessura são equivalentes


Existem, entretanto, ossos que têm características peculiares e não podem ser classificados em nenhum dos tipos acima. Por isso, são colocados dentro de uma das categorias abaixo:

D – Osso irregular: apresenta uma morfologia complexa, diferente de qualquer forma geométrica conhecida. Exemplos: vértebras e osso temporal.
O Osso Temporal é um osso irregular, não equivale a nenhuma forma geométrica conhecida

E – Osso pneumático: apresenta uma ou mais cavidades, de volume variável, revestidas de mucosa e cheias de ar que recebem o nome de seio. Os ossos pneumáticos estão localizados no crânio. Exemplos: frontal, maxilar, temporal, etmóide e esfenóide.
Obs.: Devido às suas peculiaridades morfológicas, há ossos que são colocados em mais de uma categoria: o frontal, por exemplo, é laminar e também pneumático; o maxilar é irregular e pneumático.
O Osso esfenóide é um osso da categoria Pneumático, tem cavidades revestidas de mucosa e cheias de ar que recebem o nome de seio

F – Ossos sesamóides: desenvolvem-se nas substâncias de alguns tendões ou da cápsula fibrosa que envolve certas articulações, não se conectam a nenhum outro osso. Os ossos sesamóides dos tendões são chamados intratendíneos e os das articulações, periarticulares. Exemplos: patela, o maior osso sesamóide do corpo humano, é um exemplo típico de sesamóide intratendíneo. Dois outros sesamóides, muito pequenos, estão localizados na planta dos pés logo abaixo do hálux (o dedão do pé)
O Osso Patela é um osso da categoria Sesamóide, desenvolvem-se em certos tendões ou certas articulações e não se conectam a nenhum outro osso

Bibliografia: Dangelo & Fattini – Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar – 3ª Ed. – Editora Atheneu
 
Artigos Recomendados:

14 comentários:

  1. precisei muito disto

    ResponderExcluir
  2. isso me ajudou muito. parabéns

    ResponderExcluir
  3. Obrigado a pesquisa me ajudou muito

    ResponderExcluir
  4. amei muito obrigada !

    ResponderExcluir
  5. excellent this source, thabks very much

    ResponderExcluir
  6. Muito obrigado me ajudou mto!

    ResponderExcluir
  7. Vlw adorei a pesquisa,precisava muito disso pra fazer o meu trabalho!

    ResponderExcluir
  8. obrigada adorei muito e me ajudou bastante na minha pesquisa.

    ResponderExcluir
  9. gostei,mais não achei o que eu precisava

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...