segunda-feira, 14 de maio de 2012

Grupos sanguíneos: ABO e fator Rh.

Compatibilidade nos Grupos sanguíneos ABO e fator Rh. Doadores e receptores universais. Antígenos, aglutininas, aglutinogênios, anticorpos.

Grupos sanguíneos ABO e fator Rh
by Roberto M.
O que é grupo sanguíneo? Quais são os tipos de sangue? O que são aglutininas? O que são antígenos? Quem são os doadores e os receptores universais?
Pessoas que fazem cirurgias ou que sofrem acidente às vezes necessitam de transfusões para repor o sangue perdido. Sem essa reposição, talvez até corram risco de vida.

No inicio do século XVII, quando foram feitas as primeiras transfusões de sangue, muitos pacientes morreram e por isso, essa prática passou até a ser proibida.
Velha aspiração do homem, a transfusão somente se tornou possível no início do século XX, quando foram identificados os vários tipos de sangue.

GRUPO ABO

No ano de 1900, após investigações do médico austríaco Karl Landsteiner (1868 – 1943), foram descobertos nas hemácias humanas certos componentes que foram identificados pelas letras A e B e chamados aglutinogênios A e B ou antígenos A e B.
Verificou-se, ainda, que uma mesma hemácia poderia conter: ou somente o elemento A, ou somente o elemento B, ambos os elementos ou nenhum deles.

Dessa maneira, foram identificados quatro tipos de sangue: A, B, AB e O respectivamente com o antígeno A, com o B, com A e B ou com hemácias “vazias”, sem nenhum deles, tipo O.
Descobriu-se também, que o plasma sanguíneo (soro), por sua vez, também continha certos elementos. Esses elementos eram anticorpos contra as substâncias A e B e foram identificados pelas letras a (anti-A) e b (anti-B).

No plasma dos indivíduos do grupo A, encontramos anticorpos b (contra a substância B, anti – B).
No plasma dos indivíduos do grupo B, encontramos anticorpos a (contra a substância A, anti-A).
No plasma dos indivíduos do grupo AB, não encontramos anticorpos de qualquer espécie.
No plasma dos indivíduos do grupo O, encontramos anticorpos a e b (contra a substância A, anti-A e contra a substância B, anti-B).

Em resumo, cada pessoa fabrica anticorpos contra as proteínas que ela não tem.
Tipo Sanguíneo
Antígeno na Hemácia
Anticorpo no Plasma
A
A
Anti - B (b)
B
B
Anti - A (a)
AB
A e B
-
O
-
Anti - A e   Anti - B

Pode-se considerar A contra a e B contra b como dois embates em que os contendores são incompatíveis e inconciliáveis. Quando se encontram, os elementos se destroem mutuamente.

Se uma pessoa com sangue A receber doação de outra pessoa com sangue tipo B, as hemácias do doador B encontram-se com o elemento b (anti-B) contido no plasma do receptor A, havendo o embate hemácias B do doador contra os anticorpos b do receptor.
Geralmente é um encontro fatal para as hemácias. Os anticorpos b fazem as hemácias A aglutinarem-se, podendo entupir vasos sanguíneos e interromper a circulação em certos órgãos, podendo levar o individuo receptor, até à morte.

Do mesmo modo, quando uma pessoa do grupo B recebe sangue do grupo A, as hemácias A doadas são aglutinadas pelos anticorpos a (anti-A) do receptor.
Por isso, os anticorpos também são chamados de aglutininas.

Em principio, o doador de sangue tipo A pode fornecer sangue ao receptor A, e o doador B, ao receptor B.

Os indivíduos com sangue tipo AB, por não possuírem anticorpos podem receber qualquer tipo de sangue. São os chamados receptores universais.

Os indivíduos com sangue tipo O, que não possuem os antígenos A e B nas hemácias, têm os dois anticorpos a e b no soro. Consequentemente, não podem receber sangue A, B, ou AB, porque os anticorpos de seu plasma atacariam as hemácias recebidas do sangue transfundido, provocando a aglutinação. Em contrapartida, eles podem doar a qualquer pessoa (suas hemácias são “neutras”). São os doadores universais.

- Os indivíduos com sangue O podem doar a qualquer pessoa, mas somente podem receber sangue de outra pessoa do tipo O.
- Os indivíduos com sangue AB podem receber de qualquer pessoa, mas somente podem doar sangue a outra pessoa do tipo AB.
- Os indivíduos do tipo A recebem de A ou de O e doam para A ou AB.
- Os indivíduos do grupo B recebem de B ou de O e doam para B ou AB.

Em resumo, nós somos capazes de produzir anticorpos contra substâncias estranhas que penetram em nosso corpo. Essas substâncias estranhas são chamadas antígenos e podem ser encontradas nos micróbios, nas hemácias e nas membranas de outras células “invasoras”.

FATOR Rh

Outro tipo de antígeno que pode estar presente na hemácia é o Rh. Esse antígeno foi descoberto primeiro no macaco do gênero Rhesus, vindo daí as iniciais Rh.
Algumas pessoas possuem esse antígeno nas hemácias, sendo, portanto, Rh positivas (Rh+)Outras não o possuem e são chamadas Rh negativas (Rh-).

Anticorpos anti-Rh não existem naturalmente no sangue das pessoas, sendo fabricados, apenas, por indivíduos Rh negativo (Rh-) ao receberem sangue Rh positivo (Rh+).
Numa primeira transfusão desse tipo, o problema não seria sério, pois as aglutininas anti – Rh apenas estariam começando a ser produzidas. Mas, numa segunda transfusão, as aglutininas formadas já podem ser suficientes para produzir grande aglutinação nas hemácias doadas e danos ao organismo.

Assim, nos casos de transfusão sanguínea, temos que:
- Pessoas com Rh+ só podem doar para quem tem Rh+ e
- Pessoas com Rh- podem doar para Rh+ e Rh-.

Esse fator Rh veio complicar o reconhecimento dos doadores e receptores universais.
O doador universal teria de ter Rh negativo, além de sangue tipo O, ao passo que o receptor universal seria o indivíduo de sangue AB, com Rh positivo.

Hoje conhecemos muitos tipos de antígenos (mais de 30) que podem estar presentes nas hemácias. Entretanto, os antígenos dos grupos ABO e Rh são os que costumam causar maiores complicações nas transfusões.

Por isso, antes de uma transfusão, é preciso saber o tipo de sangue do receptor, o tipo de sangue do doador e realizar uma transfusão entre pessoas do mesmo grupo sanguíneo.

Artigos Recomendados:

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...